O hábito de comer passou de ser um ato fisiológico para ser um ato cronometrado. Não é incomum ver pessoas deixarem o celular despertando ou marcando em seus relógios a hora para comer, e normalmente é de 3 em 3 horas.

A verdade é que nem todo mundo precisa comer de 3 em 3 horas, isso porque nem todo mundo sente fome de 3 em 3 horas.

O organismo reconhece dois estados metabólicos: o alimentado e o em jejum. No estado alimentado, nós temos energia suficiente e estamos a poupando nossas reservas. No estado de jejum, nós utilizamos nossas reservas de energia. Infelizmente a fome não é mais reconhecida como um estado fisiológico, sendo mascarada, ignorada e muitas vezes até confundida com a sede.

Isso acontece porque tanto a fome quanto a sede são identificadas na mesma região do cérebro, o hipotálamo.

Por que isso ocorre?

A fome nada mais é do que o sinal que o corpo dá dizendo que necessita de energia através de alimentos, muitas vezes ocorre após longos períodos no estado de jejum (não-alimentado). Já a sede é o sinal do corpo dizendo que necessita de água, e isso ocorre pois ele já está iniciando o processo de desidratação.

Ambas informações são processadas pelo hipotálamo, por isso as duas sensações são facilmente confundidas. Muitas vezes o seu corpo precisa apenas de um bom copo d´água e não um prato de comida.

Como saber diferenciar?

É importante ressaltar que perdemos a noção do que é a fome pois durante maior parte do dia estamos no estado alimentado. Com a facilidade de acesso aos alimentos, acaba não dando tempo para o organismo sentir essa necessidade. E portanto, devido à esse hábito, atualmente é comum encontrar pessoas que não saibam reconhecer a própria fome.

A fome possui três características particulares: ela não é seletiva, não é específica e não tem hora para acontecer.

Ou seja, a fome verdadeira não é disparada porque você sentiu algum cheiro, ou porque viu algum alimento ou sentiu vontade de um alimento específico. Ela também não tem hora certa ou marcada, na grande maioria das vezes.

E outra forma infalível de descobrir se é fome ou é sede, é praticando o simples hábito de beber um copo d’água sempre que achar que está com fome. Se for fome realmente, ela não passará após ter ingerido um copo de água. Mas se ela de repente passar, é porque era apenas sede.

Evite a Sede!

Quantas vezes você talvez comeu desnecessariamente achando que era fome mas na realidade era sede?

Comer além de suas necessidades calóricas diárias leva ao indesejável ganho de peso, e uma alternativa para não confundir mais fome com sede e acabar comer além do que deve, é não deixar que a sede venha.

Tenha sempre por perto garrafinhas de água gelada seja no seu trabalho, em casa, antes e depois de atividades físicas ou em qualquer lugar.

Evite que o corpo dê sinais de sede, ou sempre que sentir fome, faça testes ingerindo um bom copo d’água.

Dessa forma você começará a reconhecer e diferenciar os sinais do seu corpo naturalmente.

Beber água emagrece?

Não. O que normalmente pode ocorrer é que uma maior ingestão de água evita que a pessoa confunda fome com sede, reduzindo então o consumo exagerado e desnecessário de alimentos, ocasionando então naturalmente a perda de peso.

Muitas pessoas acabam perdendo peso apenas porque percebem que estão comendo além da conta devido a confusão entre esses dois mecanismos.

Por outro lado, é possível afirmar que a ingestão de água gelada tem ação termogênica pois o organismo gasta mais calorias para aumentar a temperatura da água ingerida, pra que ela se adeque a temperatura corporal que é de 36 graus aproximadamente.

Por esse motivo, a água gelada aumenta o gasto calórico, mas apenas ingerir água gelada não faz com que haja perda de peso significativa. A perda de peso ocorre com a união de fatores como alimentação saudável, ingestão de água adequada e prática de atividades físicas.

Gostou das dicas? Assine nossa Newsletter e receba conteúdos exclusivos e novidades no seu e-mail!

 

Artigos Recentes

Deixar um comentário